Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

querotrazerapoesiaparaarua

querotrazerapoesiaparaarua

Porque Será que estou tão desatenta?

Porque será que estou tão desatenta
Apática, até, enquanto oiço e vejo
O Otelo Saraiva de Carvalho a falar
De um Abril de 1974 feliz

Talvez, tudo me pareça irreal, estranho
Uma fantasia, um sonho de patriota
Uma vontade explosiva
Um borrão de esperança na nossa história

Parece o Momentos de Glória
Misturado com E Tudo O Vento Levou
Com qualquer coisa de Os Últimos Dias de Anne Frank
Com Elogio da Loucura ao fundo

Talvez, eu já tenha entrado numa dimensão
De Lobo das Estepes em acordes intercalados
Com o Livro do Desassossego
Com banda sonora do Grito de Allen Gingsberg
Na voz de um Rutger Hauer desesperado
Em Blade Runner

Se calhar, só estou triste
E é possível que As Ondas que vêm
E vão da televisão à minha cabeça
Me levem ao pós-Animal Farm
1984 revisitado
Admirável Mundo Novo sem soma capaz de nos iludir
Num bem-estar de equilíbrio químico

Será que vamos permanecer serenos
Como perus em véspera de Natal
Cordeiros por alturas de uma Páscoa
Que parece não terminar

Ana Wiesenberger (in Portugal, Meu Amor)
24-04-2013

Imagem - Edward Munch



Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Corredores, 2015

Portugal, Meu Amor, 2014

Idades, 2012

Dias Incompletos, 2011

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D