Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

querotrazerapoesiaparaarua

querotrazerapoesiaparaarua

Nestes Tempos Sem Rei Nem Roque

Arturo Souto

Nestes tempos sem Rei nem Roque
Já nem a quem se quer bem se acode
E só se vive bem
A mostrar o que se não tem

De resto, se calhar foi sempre assim
Mas agora com tantas redes sem fim
Descobrem-se em janelas sempre abertas
Que há muitos e muitas parvas espertas

A interioridade dilui-se na aparência
E a verdade das coisas é uma inconveniência
Ninguém tem vontade de ver o outro descomposto
Se só das uvas se louva e aprecia o mosto

E por isso, muito se vê, não obstante o pouco que se faz
As tintas da individualidade são lavadas com aguarrás
E se alguém tem o despropósito da mediocridade denunciar
Torna-se indesejável porque à vida não sabe reinar

 

Ana Wiesenberger
08-01-2019

 

Imagem – Arturo Souto

 

O Passado É Um Lastro Incómodo

DSC_0217

 

O passado é um lastro incómodo

Que atormenta o presente

Em solavancos emocionais

Que nos fazem tragar o cálice da dor

Uma e outra vez

Como ratos de labirinto massacrados

Com choques eléctricos

Nos percursos erróneos que escolhemos

Ou aceitámos vergados pela embriaguez

Do cansaço contínuo

Tantos becos sem saída

Tantas portas fechadas

 

Ana Wiesenberger

25-09-2017

 

Imagem – Jorge Pé-Curto

Corredores

Corredores - capa

Corredores
Não vejo portas, mas sei
São corredores
Túneis; espaços longos, estreitos
Que vão dar a outros
Ou talvez não

 

Corredores
Estreitos, gargantas de monstros
Onde fomos parar
Sem dar por isso
De onde é preciso sair
Mas nunca
A qualquer preço

 

Corredores
Línguas confinadas que nos aprisionam
Ilusões de caminhos bifurcados
Que alguém se esqueceu de concretizar

 

Corredores
Escuros, luminosos
Breves, longos
Passagens que nos gradeiam a escolha
De ir ou ficar

 

Corredores
Que talvez nos levem ao Sol
Que talvez nos escondam na penumbra
Que talvez sejam a outra face da Lua
O outro modo de ser, estar, viver
Num entretanto contínuo
Que nos assusta
Que nos estrangula
O grito
A consciência de estarmos imersos
Perdidos na teia da razão
A suplicar um amanhã cristalino
Que já não vem

 

Ana Wiesenberger (in Corredores)

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Corredores, 2015

Portugal, Meu Amor, 2014

Idades, 2012

Dias Incompletos, 2011

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D