Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

querotrazerapoesiaparaarua

querotrazerapoesiaparaarua

Eles são tantos

Eles são tantos
E tão poucos
Os silêncios que me abafam
A vontade de ser Sol e Lua
Tarde e Noite
Verão entrelaçado da invernia mais glacial
Alguma vez vivida

Eles são tantos
E tão poucos
Os dias assimilados no calendário
Com uma fome frutífera

Eles são tantos
E tão poucos
Os anos que por nós deslizam
Sem vermos
E os outros que ainda virão
Estradas bifurcadas, estranguladas
Entre o que foi e poderia ter sido
Iluminadas por um letreiro em que o Porvir
É uma estreia sempre adiada
Pelo presente que não conseguimos construir

Ana Wiesenberger
10-11-2018

Imagem – Salvador Dali

rose-meditative Salvador Dali

 

 

Há Cavalos a Galopar no Meu Peito

Franz_Marc

Há cavalos a galopar no meu peito

Quando desligo a luz para adormecer o dia

 

O tropel dos cascos marca a compasso louco

O peso das nuvens que me cercam as horas

A tirania da ausência que desfaz a alma

Com a precisão fria de um talhante

A preparar carne picada para o almoço lento

Dos que não se sentem assassinos

 

Ana Wiesenberger

06-11-2018

 

Imagem – Franz Marc

 

Talvez sejamos apenas momentos

Henri Matisse - Olhos Azuis

 

Talvez sejamos apenas momentos

Partículas do real visíveis

No tempo útil de aparecer

Para depois nos convertermos

Em ausência e esquecimento

Expoentes do Não-Ser

 

Talvez essa seja a nossa condição

Efémeros luminosos como pirilampos

Irremediavelmente em busca do outro

Ébrios da ilusão de juntos fazer sentido

 

Ana Wiesenberger

01-09-2018

 

Imagem – Henri Matisse

 

 

 

Dos Laços Nascem Os Abraços

Burton Silverman

Dos laços nascem os abraços

Ou será, que os braços pedem laços

Por estarem cansados de ser baços

E querem cor para os seus passos

 

Os laços são borboletas coloridas

Que pousam na cabeça das meninas

Como premonições do que há-de vir

Laços que os seus braços hão-de pedir

Sem revelar os outros em que irão cair

 

Dos laços, só há que temer o abraço

Quando o nó em vez de lasso

Sufoca e derrota o teu passo

E destrói a tua vontade de viver no paço

 

Ana Wiesenberger

03-07-2018

 

Imagem – Burton Silverman

 

 

Dias Há

cb98b77d81c7540124d8421fb6cc3fae--magritte-paintings-rené-magritte

 

Dias há

Que meço cada centímetro da casa

Com a impaciência desesperada

De animal enjaulado

Numa imbecilidade triste

De quem pode rodar a chave na fechadura

E sair

Mas sabe que leva as grades dentro de si

 

Ana Wiesenberger

04-10-2017

 

Imagem - Magritte

A poesia é a água cristalina

Raja Ravi Varma

 

A poesia é a água cristalina

Que jorra leve e livre

Da cascata do Eu recluso

Que em nós vive

 

A poesia é o grito

Feito de sombras e de fogo

De lágrimas retidas no silêncio

De mortalhas dos sonhos

Que em nós sepultámos

 

A poesia é Sol, luar

E também chuva

E murmúrio com maresia

Restolhar de folhas

Leque caprichoso

Com que o poeta

Nos deslumbra

Ao abrir e fechar

As emoções dentro de nós

 

Ana Wiesenberger

21-03-2017

 

Imagem – Raja Ravi Varma

 

 

No País das Histórias de Encantar

db_Marina_puzyreva1

Estava cansada e fui até ao país das Histórias de Encantar
Mas saí de lá ainda mais desencantada
A Bela Adormecida queixa-se de insónias constantes
Enquanto o seu belo Príncipe de outrora
Faz ecoar os seus roncos expressivos por todo o palácio

 

Ela, que até, se tinha congratulado
Com a sorte de ser estéril
Lamenta agora o vazio dos seus dias
Se tivesse tido prole
Poderia entreter-se a dar colo aos netos
E a correr as tendas dos artesãos
Em busca de brinquedos perfeitos

 

A beleza, ainda a conservara muito tempo
Mas depois, a anorexia deu lugar à bulimia
E arruinou a linha esbelta da sua figura

 

Na porta ao lado, a cena não era mais animadora
A Gata Borralheira sofre paciente e triste
As artroses e as poliartralgias
Herança das sevícias domésticas da madrasta
Que longos anos perduraram

 

Continua meiga e afável com todos
Queixa-se ao de leve da viuvez
E da vida atarefada dos filhos gémeos
Que trabalham na Wall Street da Avenida das Fadas

 

Quando a saúde lhe permite, dá festas de caridade
Ajuda órfãos e viúvas carenciadas
Inaugurou há pouco uma Associação de Protecção Animal
Nuns hectares baldios de que não precisava
Coitadinha, ainda me deu um frasco de geleia e biscoitos caseiros
Antes de eu franquear a porta de saída

 

A Alice sofre de neurastenia grave
E da esquizofrenia, que já na infância se tornara evidente
Todos os dias manda abrir buracos no chão do jardim
Quer regressar ao País das Maravilhas que nunca devia ter abandonado
Mas não se lembra onde era o túnel da entrada
Todos sabem, que não há nada a fazer
Os físicos mais célebres e afamados dos quatro cantos do mundo
Vêm vê-la a pedido da família, mas não a conseguem tratar

 


O Patinho Feio, que afinal era um cisne
Não aguentou os traumas de criança
E é um alcoólico desesperado
Sempre com o olhar no vazio
A balbuciar por entre os dias
Que ninguém o entende
Antes ou depois de meter o bico na garrafa

 

O Gato das Botas, então
Deixou-me dilacerada
A gangrena instalou-se lhe há muito nas pernas
Mas ele teima em viver assim até ao fim
E a carne vai-lhe morrendo gradualmente sob o pêlo
Enquanto ele delira sobre os seus feitos de outrora

 

Hansel e Gretel estão bem
Pelo menos, um com o outro
A comunidade não aceita a relação incestuosa
Mas eles pareceram-me muito satisfeitos
E vi-os sorrir, cúmplices
Ao mostrarem-me a campa dos pais nas traseiras

 

Foram extremamente simpáticos
E nem me queriam deixar partir
Todavia, rebentaram em mim, ecos de psicologia
Aos solavancos
E ao apanhar o fio transversal das relações de causalidade
Entre vítimas e agressores
Julguei por avisado, afastar-me dali
Antes que eles me começassem a encher a pança com assados
Doces e iguarias mais

 

Ana Wiesenberger  (in Corredores)
13-06-2012

Imagem - Marina Puzyreva

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Corredores, 2015

Portugal, Meu Amor, 2014

Idades, 2012

Dias Incompletos, 2011

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D